domingo, 28 de fevereiro de 2010

Campeonato Nacional de Enduro 2010 - Góis

Paulo Felícia começa a ganhar
O Campeonato Nacional de Enduro começou este fim-de-semana em Góis, onde o Team CRN/Yamaha/Motofundador obteve um conjunto de bons resultados encabeçados pela vitória de Paulo Felícia no primeiro dia.
O piloto de Vila Real, já não esteve tão feliz no último dia, mas mesmo assim foi o segundo da geral, vencendo de novo entre os interessados da sua Categoria.
Com as más condições climatéricas a serem um grande obstáculo para os pilotos, Sandro Marcos, conseguiu o segundo lugar no primeiro dia de prova sendo ainda o terceiro em termos absolutos a apenas 33,47 segundos do seu colega de equipa. No segundo dia voltou a ser segundo da Categoria Elite 1, mas foi terceiro em termos absolutos.
No segundo dia, a tarefa ainda foi mais complicada, pois os pisos já estavam danificados depois das condições climatéricas não apresentarem melhorias, o que levou mesmo a organização a anular uma volta ao percurso. A dupla de pilotos da equipa vimaranense não baixou os braços e entregou-se à luta na perseguição aos melhores resultados possíveis.
Na primeira prova de Enduro englobado no Team CRN/Yamaha/Motofundador, Paulo Felicia já mostrou as suas credenciais com o triunfo no primeiro dia, conseguindo ser segundo no derradeiro, mas vencendo sempre a Categoria Elite 2: “Na primeira especial entrei a ver como as coisas estavam, mas depois fiz uma prova de trás para a frente, atacando sempre para chegar à vitória, o que consegui”, explicou o piloto, que no segundo dia já não teve a felicidade de vencer: “Entrei bem e até venci as primeiras especiais. Depois tive uns contratempos, pois fiquei preso numa especial, perdendo cerca de um minuto e também sofri uma queda mais à frente. Na derradeira volta ainda recuperei, vencendo algumas especiais, mas só deu para ser segundo e vencer de novo a minha Categoria”, concluiu Paulo Felícia.
Quanto a Sandro Marcos, esta jornada de abertura não correu como esperado, pois o piloto de Matosinhos não conseguiu atingir os seus objectivos: “Foi um fim-de-semana muito atribulado, pois não m

e senti muito bem”, começou por explicar, prosseguindo: “Iniciei a prova a perder tempo nas primeiras especiais e depois a tarefa de recuperar foi impossível. No segundo dia voltou a suceder o mesmo, pois entrei muito tenso e isso traduziu-se no cronómetro”, concluiu.